terça-feira, 8 de janeiro de 2008

O fantástico Mundo do Tráfico.

Encontrei a receita do sucesso para você, futuro cineasta: Faça um filme sobre tráfico! Exemplos não faltam, basta ver Tropa de Elite (que por sinal, gostei...) e você vai saber do quê estou falando.

Mas acho que a coisa está saindo fora do controle. É sério. Esse novo aí, "Meu nome não é Johnny" (acho que é assim que se escreve), prá mim não passa de uma "cauda do cometa", um filme que pega carona no sucesso do citado acima, e de outros como "Cidade de Deus". Mas nem é isso que eu acho pior não. Tipo assim, você pega um criminoso, um bandido, vagabundo, um cara que com certeza destruiu a vida de milhares de famílias, e o transforma num herói, num ídolo. O cara se redimiu? Na boa? FO-DA-SE! Prá mim não deixa de ser bandido, e, prá mim, bandido bom é bandido morto.

Espere uns 20 anos Pedrinho, vai por mim. Ainda veremos em cartaz sucessos de bilheteria como "Marcola, a lenda", "Beira-Mar: Um artista incompreendido" e coisas do gênero.

Não sei prá onde correr. De um lado, isso... Do outro, o novo "sucesso" da Rainha dos baixinhos. Esse novo dela, por sinal, tem uma sinopse prá lá de interessante. A propósito, Sasha se meteu a escrever roteiros de filmes, ou já estão ensinando toupeiras?

2 comentários:

Sérgio R. Bilck disse...

Os diretores nacionais deveriam lembrar sempre: não basta ter dinheiro. Tem que ter idéias. Ou fazer uso de sua velha máxima: "Uma idéia na cabeça", e uma câmera na mão.

beldi_mari disse...

nossssssssssaa chefe, mt polemico vccc, vai dá briga assim uhauhauhauha
bjuuuu